sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Armored Saint vem pela primeira vez ao Brasil


O Show único acontece dia 3 de junho, em São Paulo, no Fabrique. Nos próximos dias serão divulgadas as demais datas da América do Sul. A formação da banda traz John Bush nos vocais, Joey Vera (baixo, e também integrante do Fates Warning), Phil Sandoval (guitarra), Jeff Duncan (guitarra) e Gonzo Sandoval (bateria), só não podemos dizer que é totalmente a formação original, pois Jeff substituiu Dave Prichard em 1989, já que Dave teve leucemia e faleceu no ano seguinte. Os demais são membros desde a fundação.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Jimi Hendrix: ouça versão inédita de “Mannish Boy”, clássico de Muddy Waters


Um dos atrativos de Both Sides of the Sky, compilação de material inédito de Jimi Hendrix que será lançada em 9 de março, é a versão para “Mannish Boy”, um dos maiores clássicos de Muddy Waters.

Hendrix, como de hábito, desconstrói a música e insere muito mais groove, além de brilhar na guitarra, como esperado.

A gravação conta com Billy Cox no baixo e Buddy Miles na bateria, o trio que ficou conhecida como Band of Gypsys e gravou o disco homônimo lançado em 1970. A produção é de Eddie Kramer.


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Em 16/01/1993 o Nirvana fazia um show catastrófico no Brasil


“A primeira vez realmente a gente nunca esquece.” Frase clichê, porém resume todo o sentimento e expectativa que geraram quando foi anunciado em novembro de 1992 que o Nirvana viria ao Brasil pela primeira vez para tocar no extinto festival Hollywood Rock, no dia 16 de janeiro de 1993 em São Paulo, e uma semana depois no Rio de Janeiro, vinte e cinco anos atrás.

O Nirvana estava no seu auge com o disco “Nevermind” e, consequentemente, Kurt Cobain já não batia muito bem das ideias. O Festival reuniu a nata da música alternativa naquele momento, com o Alice in Chains e Red Hot Chili Peppers na primeira noite, Nirvana e a banda feminina L7, que até então era uma surpresa para o público, e o Simply Red na terceira e última noite. Os fãs do Nirvana estavam na expectativa de um show apoteótico e inesquecível, e de fato, de certa forma receberam isso.

A apresentação, que por muitos é retratada como um show de horrores e a pior da banda, ficou marcada pelo descontentamento do grupo e a impressão de que passavam ao público de que não queriam estar ali. Um Kurt Cobain, mais alterado que o normal, abriu o show sem nenhum momento de simpatia com a plateia que aguardou intensamente pela apresentação no Morumbi. O vocalista começou o espetáculo da pior forma possível, já alertando que o que viria por vir naquela noite poderia não agradar a todos.

A forma lenta com que foi tocada a faixa “School” e as outras seguintes alertou que seria uma apresentação imprevisível. Dentre as decepções; instrumentos desafinados, surtos de Cobain, improvisações sem nexo vistas pelo público e covers mal executados. E nem a participação de Flea em “Smell Like Teen’s Spirit”, substituindo o aclamado solo de guitarra por um solo de trompete serviu para impressionar. O descontentamento com o show era visível e antes que terminasse o público já ensaiava algumas vaias e se dirigia para os portões de saída rumo a suas casas.

Segundo João Gordo, vocalista do Ratos de Porão, que anunciou a banda como “A melhor banda underground do mundo”, antes que subissem ao palco, a culpa por aquela noite catastrófica foi dele. “Eles estavam de saco cheio da vida, dos 20 milhões de dólares que tinham ganhado, estavam odiando tudo, aquele auê e a bajulação em cima deles. E aí falamos para eles que aquele era um festival capitalista, de uma marca de cigarro, e aí eles começaram a zoeira. Se o show foi uma bosta, foi por minha culpa e dos meus amigos”, disse ao portal UOL.

No show seguinte, no Sambódromo do Rio de Janeiro, a banda pareceu soar um pouco mais coesa quanto à execução das músicas. Mas Kurt agiu de forma depravada ao cuspir nas câmeras da TV Globo que transmitia o evento ao vivo, simular masturbação e tentou destruir os equipamentos do palco. Algumas cenas da apresentação podem ser vistas no documentário “Live! Tonight! Sold Out!!”

Para muitos, a vinda do Nirvana ao Brasil foi uma decepção. Para outros, foi o retrato mais real que se podia esperar do trio ao vivo. Afinal, é disso que o rock é feito. Rebeldia, irreverência. Foram noites imprevisíveis que ficaram para a história.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

The Cranberries: morre a vocalista Dolores O'Riordan


Ela tinha 46 anos e sofreu um mal súbito em Londres, onde estava para gravações. Deixa 3 filhos. A banda irlandesa vendeu mais de 40 milhões de álbuns em todo o mundo, tendo emplacado quatro discos nos Top 20 americano e britânico. Something Else, trabalho mais recente, saiu em 2017.

FONTE: Van do Halen

33 anos: em 1985 a primeira noite do AC/DC e Scorpions no Rock In Rio


Em 15 de janeiro de 1985 ocorreu o quinto dia de shows no Rock in Rio. No mesmo dia estava acontecendo a eleição civil entre Tancredo Neves e Paulo Maluf. Nesse dia, a maioria dos presentes desfilavam com bandeiras do Brasil pela Cidade do Rock e gritavam o nome de Tancredo sem parar. Os artistas nacionais do dia também não ficaram de fora dessa festa, como Kid Abelha e Os Aboboras Selvagens (assim era chamada a banda na época), Eduardo Dusek e o Barão Vermelho.

Para variar, os chamados "metaleiros" (fãs de heavy para a imprensa brasileira) voltam a chamar atenção da midia assim como aconteceu no primeiro dia do evento. Eles estavam lá para assistirem a primeira apresentação em território brasileiro das bandas Scorpions e AC/DC, além de terem trazido de volta para a Cidade do Rock as tão comentadas vaias para os artistas nacionais destiladas no primeiro dia. O grupo da vocalista Paula Toller abriu os trabalhos do dia subindo no palco carregando uma bandeira do Brasil e exaltando Tancredo Neves, além de terem enfretando as vaias (e dizem que até pedradas) e também o excesso de estrelismo do seu baterista na época, que decidiu iniciar um solo de bateria após a banda se despedir do publico. Ele foi retirado do palco sendo carregando pelos próprios integrantes.

Eduardo Dusek também passou pela mesma saia justa no palco ao ser vaiado pelos headbangers. As vaias e as pedradas renderam no dia seguinte um protesto de Herbert Vianna contra o ato durante o show do seu Paralamas do Sucesso no festival, dizendo: "Em vez de jogar pedra, fiquem em casa aprendendo a tocar guitarra e quem sabe um dia vocês não taum aqui em cima?"

O Barão Vermelho foi aliviado das vaias do publico e fez um antológico show. O grupo liderado por Cazuza tava vivendo o melhor periodo da carreira através da boa vendagem do disco Maior Abandonado (1984). Referências à eleição não faltaram com bandeirinhas nos instrumentos, além do guitarrista Roberto Frejat ter se apresentado com uma calça verde e uma camisa amarela. Antes de entrar o solo de guitarra em "Pro Dia Nascer Feliz" (música que encerrou o show do Barão) Cazuza soltou uma das frases mais memoraveis do festival: "Que o dia nasça lindo pra todo mundo amanhã. Um Brasil novo e com a rapaziada esperta!". No final, o mesmo Cazuza se despediu com uma bandeira do Brasil enrolada no corpo e nos bastidores ele exaltou os headbangers com "Esses metaleiros são da pesada" em entrevista à jornalista Leila Cordeiro da TV Globo.

Após a apresentação do Barão Vermelho, chega a vez da parte estrangeira do dia e o primeiro a subir no palco foi o Scorpions, que entrou através de um elevador que estava abaixo da bateria de Herman Rarebell (baterista do Scorpions na época) e abriram com "Coming Home". A banda alemã estava na turnê do disco "Love At First Sting" (1984) e que renderia o album duplo ao vivo "World Wide Live", editado em Junho de 85. Nesse dia, Klaus Meine pegou uma bandeira do Brasil e resolveu tremulá-la, levando a plateia ao delirio após a execução de "Make It Real". Outro grando momento do show foi quando a banda tocou um dos maiores sucessos da época, a balada "Still Loving You", que inclusive fez parte da trilha sonora da novela "Corpo a Corpo", exibido pela TV Globo durante a realização do festival. Também é bom lembrar que no mesmo show, Rudolf Schenker jogou sua Flying V pro alto e quando foi recebê-la, ela bateu na sua testa, fazendo-lhe um corte. Mas ele não parou de tocar.

Depois do Scorpions, foi a vez dos australianos do AC/DC subirem no palco. O showman Angus Young apareceu no palco solando a sua Gibson SG, antes da banda abrir o show com "Guns For Hire". Pra ter a presença confirmada no Brasil, a banda disse que não abriria mão do sino de meia tonelada, que é marretado por Brian Johnson em Hells Bells. Medina trouxe o sino de navio e na hora de coloca-lo no palco, a estrutura do mesmo não agüentou e o cenógrafo do festival fez às escondidas um sino de gesso. A banda havia interrompido as gravações do album "Fly On The Wall", que seria lançado em 85 e eles haviam lançado no ano anterior o EP "74 Jailbreak". O shows dos dias 15 e 19 foram um resquício da turnê do disco "Flick of The Switch", lançado em 1983. O baterista na época era o Simon Wright.

Tanto o Scorpions quanto o AC/DC voltariam à Cidade do Rock quatro dias depois para a verdadeiramente chamada "Noite do Metal", mas isso é uma outra história.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Sex Pistols: em 14/01/1978 a formação original faz sua última apresentação ao vivo

Em 14/01/1978: A formação original dos Sex Pistols faz sua última apresentação ao vivo, realizada em São Francisco, CA.


FONTE: Whiplash

sábado, 13 de janeiro de 2018

Vem aí Rock Solidário 2ª Edição


Rock Solidário apresentará sua 2ª Edição dia 20 e 21 de abril na Concha Acústica de Jaboticabal-SP. Um evento beneficente em prol do Fundo Social de Jaboticabal.

Bandas

Kolt
Aminas A Trois
Vegga
Hardfour
Oitenta Noventa
2PontoZeroOficial
Vennus
PSD - Official Banda
Banda Hype
Jimmy's

20 de abril, das 18h às 22h
21 de abril, das 16h às 22h

Valor
R$15,00 cada dia (vendas a partir do dia 15/fevereiro)

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Iron Maiden: nova cerveja em parceria com ONG de soldados britânicos


O Iron Maiden anunciou uma parceria com a Robinsons Brewery para uma nova cerveja.

Intitulada Light Brigade, a nova bebida terá o teor alcoólico de 4.1% e foi criada para arrecadar dinheiro para a instituição Help For Heroes que cuida de veteranos das Forças Armadas Britânica que tiveram sua vida afetada de alguma forma após seu serviço.

Bruce Dickinson, frontman da banda e responsável pela parceria, revelou estar muito orgulhoso do trabalho:

“Eu tenho ensinado vôo para muitos soldados pela Help For Heroes então eu conheço muito bem a organização e seu trabalho.

Light Brigade é nossa interpretação de uma cerveja gold que possui os elementos de força e característica da Trooper. Na verdade, as duas cervejas se completamente muito bem.”

A cerveja Light Brigade está disponível na pré-venda AQUI e as entregas começarão no dia 01 de Fevereiro. Em supermercados e pubs do Reino Unido ela será disponibilizada a partir do dia 19 do mesmo mês.

FONTE: Wikimetal

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Motörhead: morre o guitarrista "Fast" Eddie Clarke


Ele tinha 67 anos e estava internado por conta de uma pneumonia. O músico fez parte da formação clássica do Motörhead que agora está toda do outro lado da vida, além de ter integrado o Fastway.

FONTE: Van do Halen

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Eric Clapton afirma que está ficando surdo e tem dificuldade para tocar guitarra


Eric Clapton afirmou em entrevista que está ficando surdo e com dificuldade de dedilhar sua guitarra. O lendário guitarrista revelou que está apreensivo sobre tocar o instrumento e cantar com proficiência devido a doenças que incluem zumbido e um toque vindo do interior da orelha.

As revelações foram feitas durante entrevista para Steve Wright na BBC Radio 2, na terça-feira (9).

“Eu ainda vou trabalhar. Vou fazer o show no Hyde Park em julho”, afirmou o cantor sobre a apresentação no tradicional festival do verão britânico. “A única coisa é que estou preocupado que estou ficando surdo, tenho tido zumbidos, mas minhas mãos ainda trabalham.”

“Espero que as pessoas venham me ver. Ver a mim, mais do que pela curiosidade. Eu sei que isso faz parte, porque é incrível que eu ainda esteja aqui”.

Clapton ainda afirmou que, no último ano, sofreu com muitas dores causadas pela neuropatia periférica (quando alguns nervos não funcionam corretamente). “É difícil trabalhar tocando guitarra e eu tive que aceitar o fato de que isso não vai melhorar”.

A entrevista para a rádio fazia parte da fase de promoção de seu documentário “Eric Clapton: Life in 12 Bars”. Na conversa, ele repetiu o que já havia afirmado em outras entrevistas, sobre a dificuldade de assistir as cenas do filme. “É difícil, porque isso é sobre um longo difícil período da minha vida”.

FONTE: G1

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Black Label Society: ouça trecho da nova música “Trampled Down Below”


O Black Label Society lançou “Trampled Down Below”, faixa que faz parte do novo álbum Grimmest Hits.

“Trampled Down Below” é a terceira do disco a ser divulgada, sucedendo “All That Once Shined” e “Room Of Nightmares” e traz um som groove que muitos podem dizer ser inspirado no Black Sabbath.

Grimmest Hits será lançado no dia 19 de Janeiro pela Spinefarm Records, gravadora do grupo Universal. 


FONTE: Wikimetal

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Phil Campbell and the Bastard: disponível vídeo de "Welcome To Hell"


A banda Phil Campbell and the Bastard Sons lança seu primeiro álbum completo de estúdio, intitulado The Age Of Absurdity, no dia 26 de janeiro via Nuclear Blast.

As gravações aconteceram no Rockfield Studios, no País de Gales, com o produtor Romesh Dodangoda. A arte de capa é assinada por Matt Riste. O vídeo oficial da faixa "Welcome To Hell" pode ser conferido abaixo.



FONTE: Roadie Crew

domingo, 7 de janeiro de 2018

Morre o produtor Chris Tsangarides


Ele tinha 61 anos. Entre outros, trabalhou em álbuns como:

Painkiller (Judas Priest)
Tattooed Millionaire (Bruce Dickinson)
Thunder And Lightning (Thin Lizzy)
Pink Bubbles Go Ape (Helloween)
Fireworks (Angra)
Back On The Streets (Gary Moore)
Metal On Metal (Anvil)
Eternal Idol (Black Sabbath)
Magnum Opus (Yngwie Malmsteen)

FONTE: Van do Halen

sábado, 6 de janeiro de 2018

Judas Priest: confira o vídeo de Lightning Strike

O Judas Priest divulgou nessa sexta-feira, 05, o primeiro single de seu novo álbum Firepower. Agora, a faixa “Lightning Strike” ganhou um poderoso clipe.

Com cenas da banda ao vivo misturadas com imagens do frontman Rob Halford, o vídeo busca demonstrar a força do grupo e de sua música.

Firepower será lançado dia 09 de Março pela Epic Records e já está disponível para pré-venda. Marcando o primeiro trabalho da banda desde Redeemer Of Souls de 2014, o novo disco foi gravado com seu colega de longa data Tom Allom, o também britânico Andy Sneap e o engenheiro Mike Exeter.

Confira o clipe de “Lightning Strike” logo abaixo:


FONTE: Wikimetal

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Sodom terá uma nova formação em breve


O baixista e vocalista Tom Angelripper anunciou as saídas do guitarrista Bernd “Bernemann” Kost que fez parte do grupo por mais de vinte anos e do baterista Markus “Makka” Freiwald. O próximo lineup estreará em abril, no festival austríaco Full Metal Mountain. Um novo disco deve sair ainda este ano.

FONTE: Van do Halen

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Judas Priest: confira o preview de "Lightning Strike" do novo disco


Você pode conferir abaixo um preview do novo clip "Lightning Strike" do álbum "Firepower", dos veteranos do metal inglês JUDAS PRIEST, que será lançado no primeiro semestre de 2018.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Ratt anuncia turnê para 2018


Lendário grupo da cena glam metal americana dos anos 80, o Ratt anunciou uma turnê para 2018. As datas serão confirmadas em breve na página oficial da banda no Facebook.

Integrantes da formação clássica, Juan Croucier (baixo), Stephen Pearcy (vocal) e Warren DeMartini (guitarra) se reuniram em outubro do ano passado para realizar uma apresentação surpresa no Monsters Of Rock Cruise.

O último álbum de estúdio lançado pelo Ratt foi Infestation (2010).

FONTE: Roadie Crew

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Max Cavalera: ouça prévia de música nova do Soulfly


Ouça no pequeno vídeo a seguir um pequeno aperitivo do novo álbum do Soulfly, que deve ser lançado no segundo semestre de 2018 pela Nuclear Blast. O disco, sucessor do "Archangel" de 2018, começará a ser gravado em fevereiro com o produtor Josh Wilbur, que trabalhou com bandas como Lamb of God, Gojira e All That Remains, dentre outras.


FONTE:  Bruce William