quarta-feira, 24 de maio de 2017

Inglês dá com a língua nos dentes e entrega possível reunião do Led Zeppelin


Por Márcio Grings, do Grings Memorabilia

O catarinense Pedro Lutz (27) mora em Londres há poucos meses, No início do ano ele juntou na mala seus poucos pertences e atravessou o Atlântico em busca de novas perspectivas. Quando perguntado como afinal foi parar na cozinha de um pequeno restaurante na capital inglesa, ele não reluta: “Cansei do Brasil. Eu ‘tava a fim de viver novas experiências e conhecer o país da minha banda favorita”, diz o publicitário formado pela UFSC e que atualmente paga suas contas lavando pratos e fazendo alguns bicos pela internet. É assim que consegue saldar o aluguel de um diminuto apartamento (que divide com outros dois brasileiros) e também levanta alguma grana para fazer pequenas viagens pelo continente europeu.

Pelo Skype podemos vê-lo vestindo uma camiseta branca com a mítica ilustração do acidente com o dirigível LZ 129 Hindenburg, ocorrido em New Jersey, nos Estados Unidos, em 1936. Trata-se de uma das imagens mais icônicas do rock. E o grupo que utilizou essa estampa na capa de seu primeiro álbum consequentemente é uma das bandas mais idolatradas da história. “Semana passada estive em Headley Grange e em junho vou até Bron--Yr-Aur no País de Gales”, diz em entrevista ao Memorabilia. Se você, assim como Pedro, é fã de Led Zeppelin, sabe então da importância desses dois locais para a história de Jimmy Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham.

No entanto, o motivo dessa conversa com o brasileiro é um novo boato que começou a ganhar grandes proporções na internet: a tão esperada volta do Led Zeppelin aos palcos ou novas gravações. O motivo de estarmos papeando com Pedro passa por um encontro que o jovem teve na última semana em uma lanchonete de Londres. Enquanto devorava despretensiosamente o seu jantar, na mesa ao lado em que estava sentado um sujeito desconhecido - aparentemente de pileque e sozinho - para em frente sua mesa e faz um pequeno discurso. 

Pedro comenta que o homem (que aparentava ter cerca de uns 40 e poucos anos) o informou que estava pré-convocado para certa tour comemorativa que acontecerá em 2018. Ainda segundo o estranho, que se identificou como auxiliar de engenharia de áudio (pelo menos foi o que entendeu), simplesmente apontou para a camiseta de Pedro (a mesma em que está vestindo enquanto falamos com ele pelo Skype) e disse: “The world will shake! (O mundo do rock vai tremer)”.

Dito isso, o estranho levanta, segue até o balcão, paga a conta e com um desajeitado aceno de mão sai porta afora do estabelecimento deixando Pedro estarrecido: “Fiquei pensando no que exatamente acabara de ocorrer”, nos diz. “Se era apenas um maluco ou se foi uma daquelas casualidades assombrosas. Talvez os próximos meses revelem algo mais concreto”, conclui. “O fato é que na última sexta-feira (19) não consegui dormir aquela noite”.

Será? Uma tour comemorativa aos 50 anos do Led Zepelin em 2018? Robert Plant finalmente irá ceder e retornar à velha casa? Como já sabemos, o baixista John Paul Jones aprova o retorno do Zeppelin e Jimmy Page só pensa nisso. Jason, filho do baterista John Bonham (morto em 1980), mostra cautela ao comentar sobre os boatos de qualquer volta da banda: “Em 2004 eu desencanei da reunião, e em 2007 olha só o que aconteceu. Recebi uma ligação para participar da reunião. Então, agora estou fazendo a mesma coisa. Estou adotando a mesma postura agora. Estou desencanado, sendo assim, nunca se sabe o que pode acontecer", disse o músico em uma recente entrevista.

Em tempo: os integrantes do Led Zeppelin se reuniram pela primeira vez em setembro de 1968. 

Sobre a história de Pedro Lutz, quem viver verá!

Nossos agradecimentos ao amigo Ricardo Peter. Em primeiro lugar por nos relatar essa história, e também por nos colocar em contato com Pedro Lutz.